sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Gatronomia Americana pt.1


A culinária dos EUA nunca poderia ser caracterizada como um todo, dadas as divisões e variedade intrínsecas desta União de Estados. Assim, se quisessemos descrever sumariamente esta culinária, duas palavras seriam as mais indicadas: regionalismo e diversidade. Existe apenas uma verdade absoluta no que respeita à gastronomia americana, o facto desta reflectir a origem daqueles que fundaram o país. Assim, a culinária americana acaba por ser um conjunto (adaptado) de muitas culinárias mundiais. A gastronomia americana é, de costa a costa, verdadeiramente deliciosa. Muito antes dos europeus chegarem ao Novo Mundo, já a alimentação dos índios americanos se baseava em três ingredientes principais, que se mantêm um pouco por todo o lado até aos dias de hoje: milho, feijão e abóbora. A sua importância mantem-se um pouco por todo o país, sob a forma de Grits (de aveia), pão de milho e Hoppin John no Sul, de Tortillas e Pinto Beans no Sudoeste, de Feijões Cozidos e Succotash no Nordeste, e da Tarte de Abóbora (Pumkin Pie) em todo o país por altura do Thanksgiving. Muitas das mais duradouras influências foram trazidas pelos escravos africanos. É graças a eles que são hoje tão populares os churrascos e grelhados, os fritos e a utilização de legumes variados como acompanhamentos, além dos molhos condimentados. As culinárias das diferentes regiões dos Estados Unidos foram verdadeiras adaptações dos hábitos alimentares dos países de origem dos imigrantes às condições geo-climáticas específicas de cada região dos EUA.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo